Testemunho do Magney Silveira

Antes de mais, começo por dizer que o suscitar da minha vocação não surgiu por meio de uma experiência muito forte, mas sim da tomada da consciência duma realidade bastante presente na minha diocese de origem (São Tomé e Príncipe), ou seja, a partir do momento em que fui tomando consciência de que a minha diocese, carecia muito de pastores para levar aos homens a mensagem do Evangelho, de homens que falassem dos homens a Deus. Deste modo, fui confrontando esta realidade com o Evangelho (cf. Mt 9, 37-38; Mt 20,1-16), onde percebi que próprio Jesus viveu esta situação e estendeu-nos o convite para trabalharmos na vinha do Seu Pai, de tal modo que também não podia ficar indiferente à sua preocupação que, na verdade, continua a ser nos dias de hoje umas das grandes preocupações da Igreja.   

Entretanto, fui-me alimentando com este gesto e preocupação de Jesus e tendo sempre em conta a grave carência de padres que se fazia sentir na minha diocese, decidi então ser um destes que poderia futuramente ajudar a suprir esta necessidade. Claro que, também estava ciente de que mesmo assim, Igreja careceria sempre de pastores. No entanto, consciente disso, comecei a frequentar o grupo dos vocacionados da minha paróquia, onde fiquei um ano e alguns meses, sob a orientação de madres Canossianas e do meu prior. Portanto, com o passar do tempo no grupo e depois de tantos colóquios com o meu pároco, decidi entrar para o seminário em Setembro de 2012. Terminados os estudos secundários em Julho de 2013, fui para o Seminário de Sagrado Coração de Jesus em Luanda sete meses depois, onde fiz o curso de Filosofia durante três anos. Tendo concluído o curso, regressei à São Tomé em Novembro de 2016 para as férias num período de 3 meses. Infelizmente, por razões óbvias, acabei por ficar 8 meses e já não voltei mais a Angola. Contudo, como é Deus quem molda as nossas histórias e sonda os nossos caminhos, fui enviado a Portugal, concretamente à diocese de Santarém (14 de Julho de 2017) a fim de continuar os estudos teológicos. Mas antes começar os estudos, fiz ainda um tempo propedêutico no Seminário de São José de Caparide (2017-2018). E hoje, por mercê de Deus sou seminarista diocesano de Santarém, no Seminário dos Olivais.