Testemunho do João Moita

João Rodrigues Brites Moita

24 anos

Paróquias de Torres Novas

6ºAno- Ano Pastoral

 

Chamo-me João, sou de Torres Novas e estou no sexto ano, o último da formação, o chamado Ano Pastoral que fazemos no seminário, e frequento o Seminário dos Olivais em Lisboa que acolhe várias dioceses, entre as quais a nossa!

Costumo dizer que a minha vocação surgiu dos bancos da igreja, no meio da minha comunidade onde fiz o percurso normal da catequese, onde recebi os sacramentos da iniciação cristã e onde comecei a aproximar-me, na fidelidade à Missa com o serviço ao altar como acólito e pela oração mais regular, o que me levou a descobrir e querer aprofundar a relação com Jesus. Pelo testemunho dos padres que foram passando na minha paróquia, pelo acompanhamento da minha família, foi particularmente importante a experiência que fiz nas Jornadas Mundiais da Juventude em Madrid (2011) no confronto com tantas questões interiores, em mim só surgia a pergunta: Senhor, que queres de mim?

Em 2012 conheci o seminário de S.José de Caparide, onde viria a entrar em Setembro desse mesmo ano com todo o acompanhamento por parte da diocese, e da família. Três anos passados neste seminário de sentido mais “vocacional” onde se questiona sobre a própria pessoa, onde se conhece a Igreja nas suas diferentes realidades e onde se procura conhecer o próprio Deus na profundidade de relação com Ele e com os que caminham connosco, dei continuidade ao caminho de discernimento com a passagem para o Seminário dos Olivais onde caminho pelo quarto e último ano.

Aproximando-me da etapa final da minha formação no Seminário, é bem visível que foram muitas as transformações pessoais. É-me muito claro que Deus não escolhe os capacitados mas, aos que escolhe, capacita-os na resposta ao chamamento e, consequentemente, para a fidelidade na resposta. No dia-a-dia do Seminário procuramos responder a Deus principalmente pelo crescimento na dimensão espiritual, centrada na Missa diária; na dimensão comunitária, procurando entre todos os que aqui caminham viver num saudável ambiente comunitário e familiar; na dimensão pastoral, procurando pelo “estágio pastoral” nas paróquias crescer na configuração ao Bom Pastor; por último, mas não menos importante, pelo estudo da Teologia no curso que fazemos ao longo do tempo da formação como um importante instrumento.

Confio-me à vossa oração, que acredito que me tem suportado em tantos momentos neste caminho, que nunca é solitário. Estamos sempre bem acompanhados por Aquele que nos chama, seja qual for a nossa vocação!