Partiu para a eternidade o Padre João Forjaz do Monte e Freitas

Partiu para a eternidade o Padre João Forjaz do Monte e Freitas

Padre João Forjaz do Monte e Freitas, presbítero da Diocese de Santarém, adormeceu no Senhor no dia 03 de outubro de 2019, na casa paroquial.

No dia 04 de outubro, pelas 15h, o seu corpo irá para a igreja paroquial de Asseiceira e será celebrada missa de corpo presente às 19,30h.

As exéquias irão realizar-se no dia 5 de outubro de 2019 na igreja paroquial de Asseiceira do concelho de Tomar, presididas pelo Bispo de Santarém, com missa de corpo presente às 16h30,  seguindo-se a sepultura no cemitério local, como era a sua vontade.

O Padre João Forjaz do Monte e Freitas nasceu em 07/03/1940, na Lapa, Lisboa, filho de Manuel Augusto Coelho Borges do Monte e Freitas e de Carolina da Silveira Lopes do Monte e Freitas.

Foi ordenado presbítero em 15/08/1966, por D. Manuel Gonçalves Cerejeira, para o serviço da Diocese de Lisboa. Incardinou-se na Diocese de Santarém aquando da sua criação.

O P. João em 20/01/1967 foi nomeado Secretário de D. António de Campos, Bispo Auxiliar de Lisboa e Vigário geral para Santarém, que veio viver para Santarém.

Em 01/10/1969, após o falecimento do Sr D. António de Campos, foi para pároco de Chancelaria, Torres Novas.

Em 26/09/1979, pároco de Paialvo, Tomar

Em 11/10/1983, pároco interino de Asseiceira, Tomar.

Em 14/08/1991, pároco e S. João da Ribeira, Azambujeira e Vila da Marmeleira.

Em 31/08/1993, acumula com as anteriores, a paroquialidade de Arrouquelas.

Em 18/09/1998, é nomeado pároco “in solidum” de Rio Maior, acumulando com o serviço nas outras paróquias da Vigararia que lhe estavam confiadas.

Em 27/09/1999, vai para pároco “in solidum” (moderador) da Paróquia da Sagrada Família do Entroncamento e dos Riachos, Torres Novas.

16/09/2002, acumula a nomeação anterior com a de pároco “in solidum” de Ulme e Chouto, Chamusca.

Em 21/10/2004, é nomeado assistente “in solidum” do Movimentos dos Cursos de Cristandade.

Em 06/09/2005, pároco de Asseiceira, Tomar.

Homem de entrega total ao serviço da Igreja, generoso no serviço às comunidades e sempre disponível para ajudar os colegas. Partiu para a eternidade em consequência da doença pulmonar que o afetava e que ele combateu com todas as forças enquanto foi capaz. Terminou a sua caminhada terrena serenamente após ter recebido a Santa Unção pelas mãos do Bispo diocesano.

Vigararia Geral.

Sexta, 4 de Outubro de 2019