Carta de Início de Ano Pastoral

Carta de Início de Ano Pastoral
Bispo de Santarém escreve aos diocesanos - D. José Traquina escreve neste início de Ano Pastoral 2019-2020 a toda a diocese e convida a uma Igreja itinerante, “somos uma missão nesta terra”.

 

Caros Diocesanos

 

      Pretendo com esta breve carta, convidar-vos a assumir o caminho traçado nas opções do Programa Pastoral. Somos um povo em caminho, uma Igreja itinerante, “somos uma missão nesta terra”, e este ano pastoral 2019-2020 é o primeiro dos seis anos projetados que nos levarão até ao Cinquentenário da nossa Diocese de Santarém em 2025.

 

               1. “Uma Igreja que acolhe e faz discernimento dos “sinais dos tempos” e da sua missão”. Este é o objetivo para o novo ano pastoral 2019-2020, a partir de uma palavra inspiradora: Acolher.  

A primeira disposição de acolhimento aconselhável é a vida espiritual, a união com Cristo. Como nos ensina o Concílio Vaticano II:A fonte e origem de todo o apostolado da Igreja é Cristo, enviado pelo Pai. Sendo assim, é evidente que a fecundidade do apostolado dos leigos depende da sua união vital com Cristo, segundo as palavras do Senhor: ‘aquele que permanece em mim e em quem eu permaneço, esse produz muito fruto; pois, sem mim, nada podeis fazer’ (Jo. 15, 5)”, (AA. 4).

            Em consequência, outra disposição de acolhimento é a comunhão eclesial.Existe na Igreja diversidade de funções, mas unidade de missão. Aos Apóstolos e seus sucessores, confiou Cristo a missão de ensinar, santificar e governar em seu nome e com o seu poder. Mas os leigos, dado que são participantes do múnus sacerdotal, profético e real de Cristo, têm um papel próprio a desempenhar na missão do inteiro Povo de Deus, na Igreja e no mundo. (AA. 2)

            Acolher é condição para a habilitação espiritual e fortalecimento da Fé, para podermos  ao longo deste ano, avaliar, corrigir e promover novos procedimentos nas nossas comunidades e serviços de pastoral. Acolher é, também, reconhecer os sinais da presença de Deus nas pessoas que parecem mais afastadas da Igreja. Acolher é ser recetivo aos problemas que preocupam a humanidade e cada uma das pessoas em particular.

            É desejável que todos os diocesanos que assumem responsabilidades de animação pastoral, nos Movimentos, na ação catequética, litúrgica e social, tenham presente a leitura do Programa Pastoral da Diocese para este ano e progridam no sentido do seu objetivo. A publicação do Projeto e Programa Pastoral está acessível na Livraria Diocesana. Lembro, a seguir, algumas etapas com especial significado, a acontecerem mais proximamente.

 

           2. Os nossos Padres e Diáconos terão as suas Jornadas de Formação nos próximos dias 24 a 26 de Setembro, com uma proposta estabelecida tendo em conta o Programa Diocesano de Pastoral. Será uma oportunidade para todos os cristãos se associarem pela oração e fazerem o propósito de aproveitarem as oportunidades de formação que lhes forem proporcionadas ao longo do ano pastoral.

 

           3. No dia 5 de Outubro, o Papa Francisco presidirá no Vaticano ao Consistório em que nomeará 13 novos Cardeais, entre os quais o Arcebispo português, D. José Tolentino Mendonça. No mesmo dia, e em comunhão com o Papa Francisco, teremos em Santarém a Assembleia Diocesana, no local habitual da Igreja do Convento de São Francisco, das 10.00H às 13.00H. Haverá estacionamento no local habitual (antiga Escola Prática de Cavalaria) e espero que se mantenha o bom princípio da representatividade. Portanto, que todas as Paróquias, Serviços Diocesanos e Movimentos de Apostolado e Espiritualidade, estejam representados na Assembleia Diocesana.

      Consideramos um momento privilegiado de arranque do Ano Pastoral na Diocese e, nesse sentido, serão prestados esclarecimentos importantes sobre etapas e propostas desse Programa.

 

             4. No dia 6 de Outubro ocorrerão as Eleições para a Assembleia da República.

 É oportuno recordar a responsabilidade que assumimos como cristãos na edificação da sociedade em que vivemos. É um dever e um direito que, em boa consciência, deve ser exercido.

 Nos últimos atos eleitorais, tem havido espanto e preocupação pelos resultados da abstenção. Impressiona a indiferença pelo rumo do mundo. Nas últimas eleições para a Assembleia da República em 2015, em cada 100 eleitores inscritos, 43 não votaram. Como cristãos, não caiamos no discurso do desânimo ou na indiferença, mas manifestemos o nosso sentido de responsabilidade e interesse pelo país em que vivemos assumindo o ensinamento da Igreja: “É plenamente conforme com a natureza do homem que se encontrem estruturas jurídico-políticas nas quais todos os cidadãos tenham a possibilidade efetiva de participar livre e ativamente, dum modo cada vez mais perfeito e sem qualquer discriminação (...) na escolha dos governantes. Todos os cidadãos se lembrem, portanto, do direito e simultâneamente do dever que têm de fazer uso do seu voto livre em vista da promoção do bem comum” (GS 75).

 

            5. O Ano Missionário, terá o seu encerramento a nível nacional no Santuário de Fátima, no dia 20 de Outubro. Haverá oração do Terço do Rosário na Capelinha das Aparições às 10.00H, e celebração da Eucaristia às 11.00H, com a participação dos Bispos das Dioceses de Portugal. Na mesma celebração, serão assinalados os 175 anos do Apostolado da Oração – Rede Mundial de Oração do Papa.  Entre as 15.00H e as 17.00H, ocorrerá uma Tarde Missionária no Centro Pastoral Paulo VI.

 Pelas motivações apontadas, espero o melhor interesse no sentido de uma boa representação de cristãos da nossa Diocese. Este será, também, um momento de especial afirmação de comunhão com o Santo Padre, o Papa Francisco.

 

      6. O Encontro Nacional do Apostolado dos Leigos, a realizar em Santarém no sábado 23 de Novembro, tem uma programação que todos brevemente conhecerão em detalhe. Podemos adiantar que de manhã o seu programa decorrerá no espaço CNEMA e de tarde será em diversos pontos da zona histórica da cidade, a terminar com a celebração da Eucaristia na Igreja de Santa Clara. Entretanto, o Encontro tem um conjunto de ações que o antecedem e preparam em diversos espaços da área geográfica da Diocese: Entroncamento (4 de Outubro), Santarém (12 de Outubro), Torres Novas (18 de Outubro), Cartaxo (25 de Outubro), Alcanena (Alviela, 26 de Outubro), Rio Maior (8 de Novembro), Tomar (9 de Novembro), Salvaterra de Magos (15 de Novembro) e Almeirim (16 de Novembro).

            Espera-se uma significativa participação de cristãos leigos de outras Dioceses. Esperamos, também, que muitos cristãos leigos da nossa Diocese possam participar e seja uma oportunidade para crescer e reforçar a sua missão apostólica, na família, na Igreja e na sociedade (no mundo).

 

            A todos os diocesanos convido a uma renovação de vida espiritual, de modo que a nossa disponibilidade se alargue em acolhimento marcado pela alegria e pela paz, na verdade e no amor de Cristo, Bom Pastor.

      Com Cristo e convosco, em oração e estima.

               

            + José Traquina

            Bispo de Santarém

 

            Santarém, 16 de Setembro de 2019